terça-feira, 21 de outubro de 2014

SANTOS=DUMONT e o espírito de inovação do brasileiro

Quando eu era adolescente no final dos anos 70, começo dos anos 80, testemunhei um enorme número de colegas partindo para o exterior em busca de mais ‘desenvolvimento’.

Esses amigos trabalharam na construção civil em cidades do Canadá, lavando pratos e copos na Inglaterra, como dekasseguis em cargos baixos no Japão ou como jardineiros em Paris e voltavam falando maravilhas dos países que os colocaram para fazer um trabalho que os moradores locais não estavam dispostos a fazer.

Porque nos rebaixávamos tanto?

Talvez o leitor não encontre nesse blog um texto com o mesmo grau emotivo que este, mas eu precisava tornar publico o que vemos fazendo. 

Santos=Dumont, ficou enormemente desgostoso com o papel da Aeronáutica na Revolução Constitucionalista de 32, quando os paulistas tentaram, pelas armas, derrubar o ditador Getúlio Vargas. “A Aviação foi à trágica surpresa da Revolução”, essa era a frase que se ouvia falar nas ruas do Guarujá, onde Santos=Dumont tentava se recuperar de problemas emocionais profundos. O conflito durou 85 dias, entre 9 de julho a 2 de outubro de 1932 e o Vale do Paraíba foi palco das batalhas mais sangrentas da rebelião.

Dumont não se conformou em estar tão na contra-mão dos acontecimentos, seu sonho era que o avião se transformasse em um instrumento de integração entre povos, nações e culturas, mas imerso em emoções contrarias, cometeu suicido no dia 23 de Julho do mesmo ano (14 dias depois do inicio do conflito), é possível que essa visão antecipada do seu obituário tenha despertado nele o desejo de modificar o então uso de seus inventos para propostas bem mais nobres, a exemplo do que aconteceu com Alfred Nobel, mas que infelizmente não se tornou de conhecimento publico.

A exemplo de Nobel, eu sonho com a criação de uma “ORDEM SANTOS=DUMONT”, bem como a premiação de brasileiros que tenham dedicado seu empenho, intelecto e ética a criações que impulsionem o Brasil a prosperidade, o desenvolvimento tecnológico e conseqüente crescimento. Enquanto essa ordem não se torna realidade, eu uso esse blog como uma forma de combater os chamados ‘males da alma do Brasileiro médio’.

Detesto generalizações, mas é bastante conhecido entre nós brasileiros o conceito de “Complexo de Vira-Latas” que temos, cunhado por Nelson Rodrigues no ano de 1958 no livro ‘A Pátria de Chuteiras’.

o chamado 'Complexo de Vira-Latas' aparece pela primeira vez no livro 'A Patria de Chuteiras', de Nelson
Rodrigues
Segundo Rodrigues, "o brasileiro é um narciso às avessas, que cospe na própria imagem".

Um exemplo marcante dessa atitude retrograda, auto sabotadora e contraproducente ocorre na própria cidade de nascimento do aviador – o antigo Município de Palmira, cuja o nome mudou quando da morte do aviador para Município de Santos Dumont – MG, distante, aproximadamente 207 km de Belo Horizonte.

Lá, o museu local não recebe a atenção que deveria (pelo povo e pelo governo), salvo por um pequeno grupo de colaboradores que corajosamente e com muito amor, mantém viva a lembrança do aviador e seus pertences. 

Encontra-se a venda também lá, em diversas lojas de produtos regionais um pequeno frasco com os dizeres “ÁGUA DE DUMNONT”. Trata-se de uma ‘brincadeira’ com a possível homossexualidade de nosso herói nacional.

Água de Dumont - brincadeira com a possível homossexualidade de Santos=Dumont - Exemplo de espírito de Auto sabotagem e baixa autoestima de um grupo de brasileiros
O que parece ser uma ‘brincadeirinha’ dos locais para ganhar um trocado, demonstra a danosa baixa autoestima disfarçada de ingênua auto-ironia.

Ao contrario dos japoneses, que se orgulham de fazer parte de um povo guerreiro, que nunca havia perdido uma guerra até os episódios de Hiroshima e Nagazaki e que usa constantemente esse sentimento aspiracional de grande impacto (entre outros tantos) para impulsionar cada individuo rumo a grandes conquistas individuais, a atitude ridicularizar Santos=Dumont, nos faz distanciarmos cada vez mais de valores de conquistas em prol de nosso próprio pais.
Num evento sem nenhuma pompa, eu (de óculos no canto direito) junto a amigos levamos o lenço que pertenceu a Santos=Dumont para receber a assinatura dos pioneiros, Professos Nicolelis e Juliano Pinto, pioneiros brasileiros em mobilidade bípede. No lenço tem ainda assinatura de Marcos Pontes, primeiro astronauta brasileiro e carimbos da ISS, bordado de Santos=Dumont e o 'Coração Alado' de Romero Brito, desenha do pelo mesmo. 

O Lenço de Dumont
O lenço de Santos=Dumont - marco às conquistas brasileiras para a humanidade

Ao se levar em consideração tal sentimento, um grupo de amigos semi-anônimos (do qual agora eu também faço parte), decidimos usar o que eu considero como ‘UMA EXEMPLAR SIMBOLOGIA ASPIRACIONAL’, o ‘LENÇO DE SANTOS=DUMONT’.

Decidimos usar um pertence antigo de Santos=Dumont para coletar assinaturas de brasileiros que conquistam, ou conquistaram importantes avanços tecnológicos em nome de nossa bandeira.

Nesse exato momento, brasileiros incríveis estão fazendo trabalhos incríveis de inovação com foco no amor a humanidade. É o caso do Professor Miguel Nicolelis e seu exoesqueleto, que lindamente foi batizando de ‘Santos=Dumont’.

Da mesma forma que Santos=Dumont deu asas à humanidade, o professor Nicolelis está dando a autonomia bípede a pessoas que tem sua capacidade de andar sobre suas pernas comprometida.

O lenço conta ainda com a assinatura do primeiro astronauta brasileiro, que inclusive levou esse mesmo lenço para o espaço e com a ilustração ‘O CORAÇAO ALADO’ de Romero Brito, que simboliza o amor que serviu de combustível a esses brasileiros para atingirem seus objetivos.
'Coraçao Alado' - ilustração de Romero Brito no Lenço de Santos=Dumont, que representa o amor de nossos compatriotas que dedicaram seu amor a conquistas tecnológicas importantes para a humanidade. neste lenço tem também a assinatura de Marcos Pontes (1o astronauta brasileiro) e os carimbos da Estação Espacial Internacional - saiba mais em http://santosdumontvida.blogspot.com.br/2012/10/comemoracoes-do-primeiro-voo-do-mais.html

Se você se inspirou ao saber desse lenço como símbolo de um lindo movimento que está acontecendo no Brasil, que ajuda a nos impulsionarmos para um maior respeito/amor próprio, nos coloca como iguais a outros cidadãos do mundo (pois realmente não somos nem maiores, nem menores que eles) e que nos faz integrar mundialmente com nosso ‘CORAÇÃO ALADO’, então junte-se a nos.

Se acaso você se indignou ao saber desse lenço, por achar que não deveríamos profanar um pertence antigo e importante, e que tal pertence deveria estar num museu, saiba que essa indignação me acometeu a uns 20 anos atrás, quando soube de algumas centenas de milhares de outros itens do aviador se deteriorando em casas de particulares, em museus mal administrados ou bem tratados em museus de países distantes. 

Faça com que essa indignação seja a mola propulsora e então junte-se a nós, para fazer com que nossas instituições e nosso povo possam cuidar melhor da historia e das conquistas brasileiras.




Essa matéria só perde seu efeito quando você lê e decide não fazer nada a respeito, quando não se encanta por ser brasileiro ou quando decide continuar a levar a vida que vem levando... o Brasil é feito por você em meio a 203 milhões de habitantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário