quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Como resgatar uma família da seca do Nordeste Brasileiro com pouca interferência em sua identidade





Algumas regiões como o Nordeste Brasileiro, que já sofreu muita evasão, ainda permanece habitada graças a um povo resiliente e forte. NIMPS e Blemya oferecem aqui algumas dicas que poderiam ser usadas para que estas pessoas sofram menos.

read this article in English




É importante ressaltar que o objetivo desta matéria não é uma tentativa de mudança de características culturais e interferências em questões de identidade étnicas, mas simplesmente extrapolar como seriam estas comunidades isoladas servidas de algumas idéias inteligentes de produtividade e baixo impacto ambiental.

Confira agora a solução quase impossível para os sofridos brasileiros nordestinos que habitam as regiões das secas.

A boa noticia para os moradores desta humilde propriedade rural em meio a seca é que um grupo de engenheiros da Blemya e da NIMPS analisaram os escassos recursos locais e implantaram uma série de gadgets para transformar a vida deste casal com seus dois filhos pequenos.

A nova fonte de renda da família será a produção e venda de óleo combustível a partir de algas cultivadas em um sistema especial estufas solares.

Parte do óleo abastecerá o 'Alageus' um carro desenvolvido para funcionar com este óleo.

Uma bomba hidráulica vai retirar água de profundos poços artesianos e será purificada, tudo isso funcionará com uso de energia solar.

Computadores, televisores, geladeiras e toda parte elétrica da casa será fornecida pelos mais novos geradores de energia eólica e solar.

Como vimos esta humilde família rural passou de pobres sofredores para prósperos trabalhadores graças ao uso de inteligência global aliada a vontade de trabalhar.

Saiba agora um pouco mais sobre essas novas tecnologias.

Bomba D’água Solar Providence



Os sistemas de bombeamento de água têm painéis solares (células fotovoltaicas) que se movem automaticamente para acompanhar o movimento do sol, para a máxima eficiência. A água é extraída de sua fonte por meio de um tubo "straw" e a bomba é alimentada eletricamente por meio de painéis solares.



Solaqua usa energia solar para purificar a água



Jason Lam, um estudante de design da Universidade de New South Wales, mostra um purificador de água que usa a energia do sol para tornar a água potável. É destinado para locais com recursos limitados, onde doenças transmitidas pela água são predominantes, ajudando a salvar vidas com o poder do sol.

Solaqua utiliza os raios ultra-violeta e infra-vermelho do sol para eliminar agentes patogênicos da água contaminada. A água obtida é primeiro passada por um filtro de pano sari para melhorar a eficiência da desinfecção solar (SODIS). Um funil torneira enche cinco garrafas especialmente concebidos para conter 10 litros de água. Quando aberto expõem as garrafas no chão, as superfícies transparentes dos frascos permitem o máximo de exposição aos raios UV. A superfície escura por trás de cada garrafa absorve calor, enquanto que painéis reflexivos internos refletem os raios UV através da água.

O projeto utiliza plásticos, que parecem ser um problema em se tratando de um dispositivo que vai se colocado todos os dias em exposição ao sol muito quente. Lam afirma, no entanto, que os plásticos foram escolhidos para com o objetivo de manter o equipamento leve para que possa ser transportado para onde a água estiver disponível, e de modo que cada parte poça ser substituídas e recicladas, quando necessário. Isso não significa, porém, que as partes serão de longa duração, o que seria um elemento chave para um design destinado às áreas rurais.

Software de modelagem visa melhorar designs de pequenas turbinas de vento




Muita pesquisa e foco é dado às grandes turbinas eólicas horizontais porque são capazes de gerar energia tanto individualmente como em grandes parques eólicos, mas pequenas turbinas eólicas em ambientes mais urbanos ainda podem ser bem potentes se estas forem projetadas e posicionadas de forma que lhes permitam gerar mais energia. Mas quais projetos são melhores e onde exatamente no telhado ficaiam melhor posicionadas? É exatamente para descobrir estes temas que o novo software de modelagem usado pelos pesquisadores da Universidade de Murdoch está sendo usada.

"O conhecimento de intensidade de turbulência ajuda a prever a carga na máquina, por isso informa a força necessária e o desenho dos componentes de turbina, incluindo a torre e as lâminas. Precisamos de dados precisos para garantir que as turbinas seráo fortes o suficiente para todas as condições ", disse o estudante de doutorado Amir Tabrizi.

Tabrizi está trabalhando no desenvolvimento de um modelo computacional de dinâmica de fluidos tridimensional construído com software Open FOAM que irá incorporar vários ambientais e eólicos outros fatores tais como altura, direções de vento prevalecentes e os efeitos de distorção das diferentes formas dos prédios. Até agora, ele descobriu que no último andar dos prédios e em locais abertos a turbulência e extremante mais forte do que o normal e que o atual design de turbinas eólicas de pequeno porte, que são baseadas nas grandes turbinas, tem que ser redesenhadas.

Protótipo Solar concentra a energia solar com um vidro Orb, e aumenta a eficiência Fotovoltaica em 35%



Quando se fala em energia solar concentrada, que geralmente significa focalizar a energia do sol de uma grande área em uma área menor, o que gera uma grande quantidade de calor e que pode ser usado para produzir eletricidade. Mas um protótipo diferente de um método de energia solar concentrada focaliza a luz solar sobre um painel fotovoltaico, e diz-se ser capaz de aumentar a eficiência em até 35%.

O gerador solar de lente esférica do ß.torics (Beta Torics) do designer e arquiteto Barcelonês André Broessel usa uma grande bola de vidro cheia de água para concentrar a energia do sol (em até 10.000 vezes!) num painel fotovoltaico de pequeno porte. O seu desenho também integra um sistema de rastreamento totalmente rotativo para otimizar o ganho de energia solar ao longo do dia, e diz-se ser capaz de ser montada sobre as paredes para utilização com os painéis solares fotovoltaicos, bem como para aplicações térmicas.
© Raw Lemon

Este é um dispositivo bonito, mas há pelo menos uma grande questão que surge quando se discute a idéia de integrar essas unidades em edifícios, o peso dessas gigantes lentes cheias d’água, o que pode facilmente superar quaisquer outras opções de dispositivos solares para paredes e ou tetos. Outros fatores limitantes na produção destes pode ser o alto custo (e a tecnologia necessária) para a transformar bolas de vidro de dimensões significativas em lentes esféricas perfeitas, tal como a do protótipo e as temperaturas elevadas geradas na superfície dos painéis fotovoltaicos.

O projeto de gerador esférico de energia solar da ß.torics está aguardando aprovação de patente. Para mais informações, consulte ß.torics © Raw Lemon

O substituto do petróleo deve ser sintético, não natural, diz Venter




Um recente anúncio do célebre cientista e empresário Craig Venter sugere que o plano de criar o primeiro bicombustível do mundo para o mercado de massa parece ter estacionado. Em uma parceria entre o venerado Venter e a equipe de pesquisa da ExxonMobil, planejam desenvolver um biocombustível comercialmente viável a partir de algas.

Uma vez que algas geram naturalmente óleo em quantidades mais elevadas do que os cultiváveis em terra, acreditava-se que as algas poderiam ser a chave para o desenvolvimento de um bicombustível sustentável.

Primeiro veículo hibrido híbrido movido a combustível de algas no mundo.



Josh Tickellis é o criador da Organização Van Veggie e o diretor de "combustível", que foi homenageado como o criador do melhor documentário no Festival de Cinema de Sundance 2008.

Tickell criou o Algaeus, que como o nome sugere, é primeiro veículo híbrido elétrico movido a algas. Essencialmente, o Algaeus é uma versão elaborada do Prius, com já baixo consumo de combustível. Tickell acrescentou uma bateria de níquel-hidreto metálico e uma chave para o carro híbrido. Em vez de gasolina, o motor do carro funciona no combustível de algas.

O set-up é tão eficaz que os Algaeus usa cerca de 25 galões para atravessar de costa a costa os Estados Unidos. Desenvolvido pela pioneira empresa ecológica Sapphire Energy, o combustível feito a partir de algas é produzido em uma fazenda no deserto do Novo México.

Os defensores de combustível de algas afirmam que este tem o potencial para ser uma nova fonte de energia 100 por cento neutra em carbono, que não vai exigir mudança de infra-estrutura energética do país.

Casa de design no deserto de baixa manutenção concebida por Gracia Studio

Esta é a casa do deserto projetada para ter baixa manutenção pela Gracia Studio. Esta casa é caracterizada por ter piscina no exterior e sala aberta. Os materiais utilizados na sua construção são cuidadosamente escolhidos para resistir a furacões e também necessitam de um mínimo de manutenção. Basicamente, a casa é um plano aberto para as áreas comuns e os quartos são um pouco mais fechados para se ter privacidade. É composta por concreto combinando a cor natural da terra local. Algumas paredes são cobertas com ladrilhos a fim de apresentar uma tradicional arquitetura "Nordestina" em seu projeto. A planta baixa é muito fácil e flexível devido à estrutura linear de cada casa. A simplicidade da piso plano corresponde à simplicidade do design do exterior tornando o local ideal para desfrutar da natureza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário